Blog

Entrevista com a fotógrafa Néia Domingos Chelest

terça-feira, fevereiro 12th, 2013

Da série 51 entrevistas com fotógrafos.

A entrevistada desta semana é a Néia Domingos Chelest. Fotógrafa em início de carreira que tem se destacado no interior de Santa Catarina. Tem focado seu trabalho em books. Mas antes da fotografia foi militante dos movimentos sociais. Hoje, casada, com filhos, se dedica a nobre arte de escrever com a luz. Confira:

Autoretrato.

Quem é Néia Domingos Chelest?

Eu sou uma caixinha de surpresas (risos).Nasci na roça e tenho muito orgulho de dizer que sou da terra dos pés vermelhos, uma paranaense legitima, sou do norte do Paraná da cidade de Astorga. Me considero uma pessoa dedicada, fui bóia-fria, mas eu almejava outra vida queria ir sempre além, era sonhadora e esses sonhos me moveram para muitos lugares e assim fui conhecendo pessoas e adquirindo conhecimento. Fui militante do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra e creio que a partir daquele momento eu descobri minha verdadeira identidade, me tornei forte e fiz com que meus sonhos saíssem de dentro de mim e se tornassem reais. Eu tenho duas metades dentro de mim: uma metade muito doce e a outra azeda (risos). Todo ser humano tem seus dois lados, eu acredito que tenho bem mais que dois lados.

Desde quando você fotografa e porque começou?

Fotografo a 1 ano e meio. Sempre gostei de artes, mas a fotografia me encantava e era tão difícil conciliar esse sonho com o meu dia a dia. Mas fui tentando e comecei a assistir tudo que falava de fotografia e a admirar grandes fotógrafos, inclusive você Joka Madrugada, e a partir dai eu pensei “acho que consigo me realizar na fotografia”. Comecei com uma camera super simples, no inicio nem cobrava nada. Fotografei meus filhos e comecei a editar meio que brincando e dai o povo sentiu gosto por minhas fotos e assim me chamavam para fotografar festinhas e tal. Com essa mesma câmera compacta fui fazendo trabalhos mais grandes como book’s externos. Foi ai que pensei que eu teria que me aperfeiçoar e correr atrás de um equipamento melhor. E foi assim que nasceu “Néia Chelest Fotografia”.

Foto: Néia Domingos Chelest

Fez cursos ou é autodidata?

Fiz alguns cursos, participei de alguns workshops voltados mais ao manuseio de uma DSLR e saber usar o equipamento que se tem é fundamental. No meu caso não sabia nada, sabia lidar com uma compacta e achava que estava arrasando (risos).

Como é o mercado fotográfico em Rio Negrinho-SC?

Eu achava que ia ser moleza, pois ali no interior onde eu morava o território era somente meu. Na cidade de Rio Negrinho tem alguns fotógrafos e na grande maioria são muito bons, com nome feito na cidade, e eu me vi tão pequena perante eles que quase desisti, mas ao mesmo tempo vi pessoas buscando meu trabalho. Pensei melhor e resolvi investir mais. O mercado fotográfico creio que em todo lugar é disputadíssimo, mas também não vejo meus colegas de ramo como inimigos. Aprendo muito com eles, trocamos experiências e isso estimula os dois lados. O mais profissional as vezes pode se surpreender com o amador não é?

Foto: Néia Domingos Chelest

Como você se consolidou neste mercado?

A partir do momento em que comecei a fazer book’s externos e quando tive o prazer de ser convidada para fotografar a abertura do Natal Encantado em Rio Negrinho-SC. Antes disso fotografei uma festa bem famosa da cidade a Oberland Fest. Também pelo reconhecimento de outros fotógrafos da cidade como do meu amigo Petri Fotografia, um excelente profissional aqui da região. Tenho aprendido muito com ele. Fizemos algumas parcerias juntos e isso ajuda muito quando um profissional dá uma mão pra quem esta começando.

Qual foi o maior obstáculo para construir sua clientela?

O maior obstáculo era não ter um equipamento melhor. As pessoas me olhavam ela é fotografa? Pois eu tinha em mãos um equipamento que não ajudava muito. Aos olhos das pessoas pra você ser um fotógrafo tem q ter uma super câmera, daquelas que parecem uma metralhadora (risos). Te confesso que só me senti mais profissional quando comprei uma câmera melhor.

Foto: Néia Domingos Chelest

Qual seu estilo de fotografia?

Adoro fotografar natureza e aprendi a gostar de fazer book externo. Gosto das poses e expressões dos modelos(a) fotografados por mim. Nós fotografamos de tudo mas tem sempre um tema que nos envolve mais, que fazemos com mais prazer.

Você é exigente com suas modelos? O que você exige?

Não, tento deixar elas o mais leve possível, não imponho que elas tenham que ficar do jeito que eu gostaria, isso iria assusta-las, e elas não iam ficar bem. O medo e a vergonha atrapalha muito, então uma boa conversa antes ajuda muito. Na maioria das vezes eu mesma vou lá e faço a pose para ela ver como é e se sentir mais a vontade. Tem dado certo. O que exijo delas é que elas se soltem ao máximo para o trabalho fluir bem.

Foto: Néia Domingos Chelest

As modelos palpitam na produção ou você já apresenta tudo pronto?

Isso que me intriga, elas não palpitam, pelo contrario deixa tudo em minhas mãos. Tipo: “com que roupa eu vou? Levo salto alto?”. Coisas nesse sentido.

Como você pensa a produção para os ensaios?

Essa parte me tira o sono, quando eu tenho um ensaio pra fazer eu fico observando os lugares e não precisa ir muito longe para fazer altas fotos, até em fundos de quintal da pra fazer ensaios excelentes. Dai a pessoa me pergunta: “onde?” Quando digo ela não acredita, nem mesmo a pessoa que foi fotografada no fundo do quintal acredita. Essa questão de produção vai do olhar fotográfico de cada profissional.

Foto: Néia Domingos Chelest

Você já tem uma ideia fixa do que quer fotografar ou deixa para o momento?

Sempre tenho uma ideia fixa, as vezes acontece no momento mesmo.

Teus ensaios são externos, como você trabalha a iluminação?

Tem iluminação melhor que a natural? Um belo dia de sol com céu azul? Ainda não investi em equipamentos desse porte, por que no trabalho externo a luz do dia contribui a favor. Já em estúdio é outra prosa.

Foto: Néia Domingos Chelest

Você trabalha sozinha ou tem alguma equipe?

No momento sozinha. Às vezes levo uma galera junto e tenho uns amigos que querem aprender com o pouco que eu ja aprendi. Me sinto o máximo quando eles dizem para eu dar dicas pra eles. E sempre levo alguém para me ajudar na maquiagem para perder menos tempo. Mas sonho futuramente montar uma equipe “super ultra mega profissional”.

Qual é seu tipo de fotografia preferido?

Gosto das preto e branco, elas trazem um “Q” que me encanta. Um dia quem sabe torno o preto e branco uma identidade para minhas fotos, não querendo chegar tão longe como as de Sebastião Salgado.

Foto: Néia Domingos Chelest

Em quais fotógrafos você procura inspiração?

Cara busco em muitos, tenho muitos amigos(a) fotógrafos e eles me inspiram a fazer algo parecido, não copiar e sim aprender com eles. Um fotógrafo famoso que gosto é o Sebastião Salgado. Suas fotos expressam sentimentos seja de dor ou de prazer. Tenho observado também trabalhos de grandes fotógrafos da nossa região que não chegaram a fama em termos de reconhecimento nacional ou até internacional, mas que ganham meu olhar e muitas vezes um olhar critico. Busco aprender muito com eles.

Existe alguma outra fonte de inspiração para tuas fotos?

Sim. Muitas. Quando vejo fotos dos colegas de trabalhos das quais eu fico babando isso também me inspira. Quando fico um tempo sem fazer fotos por algum motivo em especial, começo a olhar o trabalho deles e me da uma vontade imensa de  sair fotografando. Não é inveja não é querer fazer igual mas é uma vontade que de certa forma me move.

Foto: Néia Domingos Chelest

Quais páginas virtuais e revistas de fotografia você lê?

Gosto do site Fotografe uma Idéia, lá encontro algumas inspirações dicas e truques sobre fotografia de todos os tipos. Acho interessante a revista Photografer Digital, nela também existe um conteúdo incrível de tudo que acontece nesse mundo encantador que é o da fotografia.

Existe algum projeto que você gostaria de realizar?

Sim, gostaria de um dia ter uma equipe focada somente em editoriais de moda. Me vejo fotografando aquelas lindas modelos cheias de caras e bocas. Projetos no momento só na minha cabeça nos meus pensamentos. Um dia eles sairão da minha “cachola” e estarão em vida.

Foto: Néia Domingos Chelest

Vivemos num mundo machista em todas as áreas da sociedade. Na fotografia não é diferente. Você teve alguma barreira por ser mulher e fotógrafa?

 Ainda não enfrentei nenhum desafio parecido. A não ser quando apareci em um evento com uma compacta o cara me olhou deu uma leve risada irônica e disse: “FOTÓGRAFA?” Me revoltei. Uma semana depois nos encontramos noutro evento e eu estava com minha câmera profissional em mãos. Quando o cara me olhou ele ficou puto da cara e ainda levei um amigo meu com outra câmera profissional para me ajudar a cobrir o evento de todos os ângulos. Naquele dia eu me senti a “Mulher” a “Fotógrafa”. Pois na semana anterior ele não se intimidou de eu estar lá. Eu não significava nenhum tipo de ameaça para ele. Além dele achar que eu era uma mulher que nunca ia fazer melhor que ele. Quando ele viu minha compacta ele riu na minha cara e dias depois o troco veio a cavalo. Hoje eu dou risada daquela situação, mas na hora me senti tão inferior a ele. Acredito que não há uma disputa nesse sentido de eu ser mulher ou homem, na fotografia existe um pouco de tudo essa INVEJINHA boa que temos dos colega é normal.

Qual conselho que você recebeu de outro fotógrafo e tem ajudado na sua formação?

Ja recebi muitos conselhos, só que tomo muito cuidado nessa questão dos conselhos. Tem aquele fotógrafo que quando vê que você cometeu algo ruim na foto ele te avisa na boa. E tem aquele que olha o mesmo defeito sabe que está ruim mas mesmo assim diz que está ótimo, isso que me da medo. Um amigo fotógrafo me disse uma vez “cuidado ao receber elogios de outros fotógrafos, eles querem te ver bem, mas nunca melhor que eles”. Entao a partir dali comecei a ter mais cuidado. E sei que sou aprendiz, estou sempre buscando e enquanto estamos buscando é por que ainda não chegou a hora de dizer: “eu sei tudo sobre fotografia”.

Foto: Néia Domingos Chelest

Comments (9)

  1. Néia Chelest
    fevereiro 12th, 2013

    🙂

  2. Antonio Pedro
    fevereiro 12th, 2013

    O mundo dá voltas.
    Querer é poder. Entre muitas outras frases que se vê por aí mostram que na verdade, existe um quê de verdade nesses ditados populares. É uma situação prazeirosa de se compactuar, portanto, Néia, sentimos orgulhosos por você. Uma amiga guerreira que buscou e que começa a colher os frutos dessa busca.
    Parabéns! Que Deus continue iluminando os teus passos.

  3. Néia Chelest
    fevereiro 12th, 2013

    Obrigado meu querido amigo,vcs sao testemunhas do quanto eu caminhei pra chegar ate aqui…

  4. Adriana Tomelin
    fevereiro 12th, 2013

    Parabéns minha amiga,desejo que continue tudo dando certo pra vc,que vc continue sendo essa pessoa que u conheci e tenho orgulho de dizer que sou amiga…ADOROOOO VC DE MONTÃOOOO!!!!!!!!!!

  5. Mauricio Chelest
    fevereiro 12th, 2013

    Parabéns meu amor Néia Chelest, pelo excelente trabalho e reconhecimento do mesmo como profissional. Seguir em frente na busca pelos desafios e sonhos com perseverança serão alcançados, isso vc tem e muito. Sempre estarei ao seu Lado, Bjs Bjs do seu companheiro Mauricio Chelest

  6. Eidi Neia Martins
    fevereiro 12th, 2013

    Parabéns Néia. você esta fazendo um trabalho lindo..ja te escrevi isto alumas vezes, mas o que é verdade tem que ser dito. Minha Palavra Chave nos trabalhos de pastoral era Ousadia..se formos ousados e persistentes avançaremos pelas dificuldades.. e Você tem ousadia e persistência. Parabéns novamente..e sempre em frente.

  7. Néia Chelest
    fevereiro 12th, 2013

    Obrigado meu querido marido, e obrigado a vcs amigos que desde o inicio vem me incentivando dando forças para continuar! Abraços

  8. Sonia garda
    fevereiro 12th, 2013

    Parabéns Néia,seu trabalho tá muito lindo,é isso ai não importa as dificuldades que aconteçem o principal é nunca desistir dos nossos sonhos, pois com muita luta chegamos lá, tudo de bom bjs sonia.

  9. marinês pertile dos santos
    fevereiro 13th, 2013

    É isso aí,,,Comadre,,sabe de uma coisa,,,lembre doque eu te disse uma vez ,,,,vá sempre em frente,,,se econtrares “”pedras “,no caminho deixe-as de lado,,mira o teu objetivo. E sempre siga em frente.Sempre boa sorte pra ti.Beijos.

Leave a Comment