Blog

Entrevista com o repórter fotográfico Hedeson Alves

terça-feira, março 19th, 2013

Da série 51 entrevistas com fotógrafos.

O entrevistado da semana é o camarada Hedeson Alves. Repórter fotográfico com vasta experiência e de extrema qualidade técnica. Acompanhem:

Hedeson Alves em auto retrato.

Quem é Hedeson Alves?

Graduado em Jornalismo pela Universidade Tuiuti do Paraná em 2001. Pós-graduado em Comunicação Audio-Visual pela PUC-PR em 2002. Fui repórter-fotográfico dos jornais Tribuna do Paraná e O Estado do Paraná até 2004, mesmo ano que fui convidado a trabalhar na Gazeta do Povo.

Comecei em 2003 a fotografar em Curitiba para o Diário Lance e Agência Lance. Realizei serviços para Agência EFE, Jornal Estado de São Paulo, Diário de Pernambuco, Revista do IDEC, ITF (International Tennis Federation), Vipcomm, Trysports, Photocamera, O Globo, Revista Contigo entre outros meios de comunicação.

Você trabalhou em diversos veículos de comunicação de Curitiba e hoje é freelancer. Como você avalia este mercado?

Atualmente estou empregado na Secretária Estadual de Educação do Paraná, mas continuo com meus freelancer, o mercado tem seus altos e baixos, tem meses que bomba de trabalho e outros nem tanto. Mas da pra viver tranquilamente.

Gota dágua. Foto: Hedeson Alves

Com o digital a produção de imagens ficou mais fácil. Há fotógrafos que em um evento chegam a fazer mais de mil imagens. Como você analisa esta situação?

Fico pensando como eles trabalhavam na época do negativo. Isso deve acontecer mais por falta de confiança no material, tanto do fotógrafo como do “patrão” que quer muitas fotos pois no final acha que uma dessas fotos deve ficar boa, não vejo outra explicação, o que se faz com tudo isso depois? 90% do material é repetido e quantas horas o fotógrafo passa editando?

Já passei por isso, o cliente pediu muitas fotos, entreguei umas 50 e não tive reclamações.

O que significa para você a fotografia de reportagem?

Surpreender com a imagem, com o inesperado. Fazer com que o leitor fique pensando sobre a foto, se questionando do porque de tudo isso.

Famílias alojadas na calçada em frente da escola Henrique de Souza, para uma matéria sobre aluguel social. Na foto o garoto Ruan na frente dos casebres. Foto: Hedeson Alves

Como vê o papel do fotojornalismo na velocidade da comunicação moderna?

Com o passar dos anos não perde sua premissa de levar a informação, de não ser um mero observador dos fatos, “embora as fotografias não possam mentir, os mentirosos podem fotografar”.

Acredita que é necessário repensar o papel do repórter fotográfico no atual cenário?

Todo dia é dia de pensar no seu papel, no que você faz e o que deve fazer para melhorar.

Queda de monomotor em Curitiba, onde o piloto e uma criança morreram e duas mulheres ficaram feridas. Foto: Hedeson Alves

Qual o futuro do fotojornalismo?

Vai continuar existindo por muito tempo, se aperfeiçoando, as mídias vão mudando aos poucos e o fotojornalista vai ter que acompanhar.

O fotojornalismo pode justificar um profissional de arriscar sua própria vida por uma foto?

Entrar no meio do tiroteio não se justifica, mas fotografar o tiroteio sim.

Carroça trafega em frente ao biarticulado da linha Circular Sul em Curitiba. Foto: Hedeson Alves

Que tipo de sentimentos você quer deixar nas pessoas que apreciam suas fotos?

Acho que todo fotojornalista quer deixar uma mensagem, seja de alegria ou tristeza. Só procuro o melhor ângulo o melhor enquadramento e o melhor momento, a leitura da imagem deixo para as pessoas.

Tuas fotos são de extrema qualidade técnica, que dica poderia dar aos leitores para fazer uma boa foto?

Usar toda a técnica e sensibilidade.

Morro da Floresta onde aconteceu o deslizamento de terra no dia 11 de marçoo destruindo várias casas em Antonina-PR. Foto: Hedeson Alves

Você esteve em Pequim, nas Olimpíadas de 2008. Conte-nos como foi esta experiência.

A ideia era ir com credencial mas só o “deguinha” Rodolfo conseguiu uma, então eu e o Leandro Taques ficamos passeando pelas ruas da cidade e fotografando de tudo um pouco, fomos em alguns jogos, mas tenho certeza que fotografar a cidade de Pequim foi muito melhor que as olimpíadas, a cidade é muito doida.

Movimento do trânsito caótico nas ruas perto de shopping de eletronicos no centro de Pequim. Foto: Hedeson Alves

Qual dica para quem quer fotografar esportes?

Não desistir no primeiro dia,  só parece fácil, mas o fotógrafo tem que prestar atenção em todos os lances, dentro e fora e principalmente amar fotografar.

Atletico-PR e Vasco pelo Campeonato Brasileiro 2011 no estadio Joaquim Americo em Curitiba, 14/10/11, pela vigesima nona rodada do campeonato, Foto: Hedeson Alves

Como foi a transição do analógico para o digital?

No começo lembro de muitos fotógrafos reclamando, muitos críticos falando que a fotografia iria se perder, quem perdeu foi a Kodak que fechou, atualmente é muito difícil ver alguém fotografando com negativo.

Jpeg ou Raw? Porquê?

Depois que comecei a trabalhar com Raw, estou gostando do resultado, só vou ter que começar a aumentar meu HD, precisa ter espaço.

Feira no subúrbio oeste da cidade de Pequim. Foto: Hedeson Alves

Algum projeto pessoal?

Penso em algum dia poder fotografar regiões de conflitos, mas para isso seria necessário um patrocínio.

O que mais gosta no fotojornalismo?

De poder transmitir o que esta acontecendo através da foto.

Depois do dia mais quente o tempo escurece em Matinhos. Foto: Hedeson Alves

Qual foi a foto que mais te deu trabalho para registrar?

No momento não lembro de nenhuma.

Qual sua lente favorita?

Não tenho lente preferida, gosto de todas que tenho, e cada uma uso conforme a pauta, futebol gosto de fotografar com a 400mm, mas é uma questão de gosto, não me adapto com a 70-200mm e nem com a 300mm, mas tem fotógrafos que preferem elas, uma questão de gosto.

Treino da Selecao Brasileira de Futebol Masculino no campo do Sofitel Hotel, goleiro Vitor. Foto: Hedeson Alves

Quais seus planos para o futuro com relação ao fotojornalismo?

Continuar fotografando tudo o que eu puder com muita qualidade,  transmitindo sempre emoção através da imagem.

Copa America 2011, Estadio Monumental de Nuñes, descisão do título da Copa America entre o Uruguay e Paraguai. Foto: Hedeson Alves

Volei de Praia nas Olimpíadas de Pequim. Foto: Hedeson Alves

Leia outras conversas em: 51 entrevistas com fotógrafos.

Leave a Comment