Blog

Prazer em jogar

terça-feira, agosto 24th, 2010

Enquanto editava algumas fotos do jogo Atlético-Pr 1 x 0 Flamengo, para o portal Furacao.com, me impressionou as imagens que fiz do Maikon Leite. A forma que olha para a bola e no clique seguinte o olhar é para frente. Isto mostra um jogador habilidoso que mira aonde quer chegar: o gol.  As expressões faciais revelam que o, até então, reserva joga futebol com alegria e sempre em busca do gol. Joga o chamado futebol arte que tantos comentam.

Maikon Leite rumo ao gol do Flamengo. Foto: Joka Madruga

Não quero aqui criar uma “teoria da conspiração”, mas foi bom o Carpegiani mantê-lo no banco enquanto a janela de transferências da FIFA estava aberta, senão ele já teria ido para algum clube da Ucrânia, do Cazaquistão ou sabe lá onde mais. E seu futebol poderia desaparecer e o Furacão perder um ótimo jogador. Há males que vem para o bem, já diz um antigo ditado.

Confesso que em alguns momentos esqueci-me de apertar o botão da câmera, diante da forma que o “moleque” ia com fome de gol para cima dos zagueiros. O colega de profissão, Robertson, comentou que fez o mesmo e nem sei se ele é torcedor do Furacão. Mas independente de ser ou não, ele também parou por uns instantes para ver o futebol arte. Ronaldo Angelim e Juan devem ter ido dormir com a espinha dolorida no último domingo, de tanto que a dobraram  para poder acompanhar nosso atacante. Sem falar na dor de cabeça que a derrota deve ter-lhes proporcionado.

Domingo passado não foi somente o Clube Atlético Paranaense que ganhou. Foi o futebol em si. E por dois motivos. O primeiro por causa dos dribles do Maikon Leite e o segundo por causa da festa proporcionada pela torcida rubro-negra do Paraná, com o mosaico que envolveu cerca de 20 mil pessoas. As fotos deste momento podem ser conferidas aqui.

Logo após o jogo, fui participar do programa Espaço Esportivo, do Dorival Crispin. Tive a honra de estar ao lado do Bruno Mineiro e do Pimpão (contratado pelo Paraná Clube), mas a fala que mais me chamou a atenção foi do Edilson de Souza, comentarista do programa e narrador da Rádio Transamérica. “Com o time mal na tabela a torcida já faz festa, imaginem se estivesse em alta?”, questionou Edilson. Alguém ai quer responder o grande Edilson de Souza?

Se depois deste jogo o “muleque” não conquistar a vaga titular, eu me candidato a técnico.

Leave a Comment